10 de jul de 2009

Comportamento frente ao árbitro


Na sociedade futebolística são comuns os jogadores amadores e os chamados profissionais não respeitarem a autoridade do árbitro e dos seus assistentes. Esta falta de respeito é claramente observada em gestos “explícitos” e algumas frases que podem ser lidas através da leitura labial, de modo tão ofensivo, que não precisa ser perito para fazer esta leitura. O principal fator para esta conduta antidesportiva é a falta de conhecimento da Carta Magna do futebol, onde estão escritas as 17 regras do esporte bretão.

O jogador denominado capitão é a maior prova desta conduta nada esportiva em relação à arbitragem. Por ter este “título” pensa que pode goza do direito de questionar as decisões do árbitro e dos seus assistentes. Porém a regra determina que sua participação se restrinja ao sorteio da escolha do campo irá defender e ser o responsável pela conduta da sua equipe.

Os jogadores não sabem ou se esquecem que as decisões do árbitro sobre fatos em relação ao jogo, são definitivas (regra 05). Uma decisão do árbitro somente poderá ser modificada se ele deu conta de um equivoco ou informado do mesmo por um dos seus assistentes ou pelo quarto árbitro. Esta decisão só poderá ser modificada se a partida não tenha sido reiniciada.

Todo o jogador, inclusive o capitão, que tomarem qualquer tipo atitude, quer com gestos ou palavra, desaprovando uma decisão da equipe de arbitragem, será culpado de conduta antidesportiva e punido com cartão amarelo (regra 12). Agora se qualquer jogador relacionado na partida agredir o árbitro (equipe de arbitragem) ou que seja culpado de empregar linguagem ou gestos ofensivos, grosseiros e obscenos será expulso (regra12).


Infelizmente para o universo da arbitragem o comportamento dos jogadores de futebol, envolve essencialmente instintos e hábitos aprendidos ao longo de sua carreira futebolística; alguns sendo genéticos e outros de natureza social e cultural.

Nenhum comentário: