30 de mai de 2011

O Saber, o entendimento e o espirito da Carta Magna do futebol.

Aprender não tem idade e não tem hora, tem renovação de espírito e de conhecimentos. Aprender pode ter momento, momento que não podemos perder. É como o cavalo que está selado, pronto para ser montado, e, quando ele passar, não feche os olhos, monte. Monte para aventura do conhecimento, do saber, do prazer de receber para depois repassar a outras gerações o ensinamento adquirido.

Entender como funciona aquilo que gostamos é encher os olhos de lágrimas, lágrimas do entendimento.

Isso nos coloca a frente daqueles que ignoram o saber e não se preocupa em renovar os horizontes e simplesmente param no tempo. Isso é contra mão, é rua sem saída, é fazer ultrapassagem em local proibido, pois se fazemos tal ultrapassagem estamos nos colocando em risco.

É o que acontece com aqueles que não querem receber ou renovar seus conhecimentos. Correm risco de serem engolidos por uma sociedade faminta, sem perdão, pois tais pessoas num pouco espaço de tempo são rapidamente deixadas de lado, pois não têm nada para oferecer e repassar, estão vazias, sem conhecimento e, infelizmente, não poderão estar na sociedade evolutiva, a nossa sociedade.

Os que começarem o curso de arbitragem de futebol, já são vencedores, serão contemplados com néctar do saber, do entender o espírito da Carta Magna do Futebol (Livro de Regras). Espírito que não se referem aos vencidos e nem aos grandes campeões, e sim ao espírito da igualdade, das mesmas condições de luta. Lutas estas resolvidas com jogo limpo (fair play), sem oferecer vantagem a nenhuma das equipes, isso é o espírito do jogo, isso é conhecimento, é entendimento,  é aplicar no nosso cotidiano o espírito deste esporte.

Vencer sim, mais de forma cristalina e de igualdade, da superação quando da derrota, da dedicação aos conceitos de viver coletivamente em harmonia.

Podemos resumir que aprender não é apenas privilégio dos leigos, mas principalmente dos que já aprenderam. Estes precisam ainda mais se reciclar, pois a vida nos ensina o quanto ela se evolui e não tem pena dos “cegos do saber”, por entenderem estupidamente que já sabem demais.

Pena, mais alegres aqueles que não tenham medo, mesmo diplomados, querem aprender mais, mais para o seu deleite de sabedoria, para quando for exigido, souber repassar com muito entendimento as maravilhosas 17 regras do esporte mais popular do planeta, o futebol.

Por Valter Ferreira Mariano

Nenhum comentário: