6 de fev de 2013

UMA VIDA DEDICADA AO UNIVERSO DA ARBITRAGEM DE FUTEBOL.


Foi-se o tempo em que as mulheres eram o sexo frágil em diversos setores da sociedade.

Silvia Regina de Oliveira (foto: Eduardo Migliato)


Na sociedade futebolística embora ainda exista um preconceito que deve ser combatido, aos poucos as “donas do apito” estão provando dentro do solo sagrado (campo de futebol – regra 01) onde a nobre função que antes era predominantemente exercida pelos homens, pode perfeitamente ser habitada por beldades que com talento, deixam as partidas de futebol ainda mais belas de assistir.

Uma das pioneiras da arbitragem feminina no Brasil é a paulista Silvia Regina de Oliveira. Com uma conduta moral irretocável, a ex-árbitra FIFA de são Paulo rompeu barreiras mostrando na prática como se deve bater de frente com o sistema, sem pisar nas pessoas conseguindo de forma incontestável, o seu valoroso espaço na arbitragem.

Silvia era uma árbitra disciplinadora, que não tinha o hábito de levar desaforos para casa. Acostumada por atuar em grandes espetáculos, em seu currículo vitorioso no apito há clássicos e mais clássicos dentro do futebol brasileiro, marca essa que muito marmanjão não conseguiu e nem conseguirá bater.

Hoje fora dos gramados, o conhecimento adquirido em quase duas décadas de experiência é levado aos mais jovens. Embora recuse o rótulo de a estrela da arbitragem brasileira, Silvia Regina é muito mais que isso, pois foi ela a grande responsável pelo crescimento da arbitragem feminina no Brasil.

Que a CBF e Federação Paulista nunca se esqueça disso e continue lhe valorizando.

Artigo publicado no blog: Expresso da Várzea.
Editado neste blog: Por Valter Ferreira Mariano

Um comentário:

Anônimo disse...

Esse artigo é original do site VOZ DO APITO.