20 de mar de 2012

Os grãos da motivação.


A tendência na arbitragem, nos dias de hoje, é sem duvida a busca pela valorização do fator humano. A esta valorização esta focada na capacidade do árbitro (regra 05) a lidar e enfrentar as adversidades dentro e fora do solo sagrado (campo de jogo – regra 01).

O árbitro de futebol é um ser humano comum. E sendo humano a sua natureza é muito complexa. Ao entrarmos nesta complexidade, constatamos a diferença entre árbitro top de linha e um árbitro comum, um árbitro cheio de felicidade e um totalmente infeliz.

Ao observamos este contexto, podemos dizer que os árbitros comuns têm algo em comum entre eles, ou seja, uma falta de motivação, e isso geral uma queda na qualidade de suas arbitragens. Perguntamos afinal o que motiva o árbitro de futebol?

Essa motivação é um processo único, de cada indivíduo. Concepção da evolução humana. O impulso de sonhar e desejar algo maior, uma posição de destaque perante os demais árbitros, status junto à imprensa e ser o referencial para mais novos.

Podemos configurar uma receita para o sucesso utilizando pequenos grãos de trigo, sempre dependendo, é claro, do ângulo de visão de cada um.

Iniciamos então nossa receita com a quantidade do grão da dedicação que o árbitro coloca em sua carreira. Sendo essa quantidade pequena o resultado do seu desempenho será pequena, pois o tempo dedicado às regras do jogo, sua preparação física e o dialogo para trocar informações com seus companheiros serão insuficiente para superar qualquer tipo de dificuldade que venha encontrar numa partida de futebol.

Continuando com a receita chegamos ao grão do esforço. Este grão é uma espécie de fermento, será ele que fará a carreira do árbitro crescer. O emprego de suas forças para alcançar todos os seus objetivos dentro da arbitragem parte sempre deste fermento, pois não há vitória e muito menos árbitro top sem esforço.

Para finalizar nossa receita temos o grão da qualidade das ações do árbitro dentro e fora do solo sagrado. Esta qualidade não é nada mais que a cobertura da sua imagem. São ações referentes ao seu cotidiano junto aos seus companheiros de profissão, ao circulo de amizade e conhecidos, principalmente junto à instituição mais valiosa que possui sua família.

A maioria das pessoas é sonhadora. Elas são motivadas pela possibilidade de ver seus sonhos realizados. Então seus sonhos é o combustível de suas vidas. O árbitro de futebol que não sonha em ser um árbitro FIFA não passa de um simples árbitro, não tem motivação para apitar uma partida de futebol como se ela fosse à final de uma Copa do Mundo.

Por Valter Ferreira Mariano
Baseado em entrevista de Pierluigi Collina

Nenhum comentário: