2 de jan de 2015

O companheirismo no universo da arbitragem de futebol.




Somente quando os árbitros se conhecem e se respeitam, é que eles sabem valorizar os pequenos gestos que demonstram que ser companheiro é fazer parte da partida e o que final o resultado é para todos.

O universo da arbitragem não tem lugar para o individualismo, somente para companheirismo.

A partida de futebol é realizada por um árbitro, dois assistentes e um quarto árbitro, nesta formação temos uma equipe, assim todos terão que trabalhar exercendo suas funções em conjunto, não querendo fazer as atribuições dadas os demais apenas colaborando com eles.

É muito triste quando se percebe que o companheiro não esta fazendo sua função corretamente demostrando desinteresse pela partida, se omitindo quando devia auxiliar e intervindo quando não devia, atrapalhando a atuação dos demais em protesto por não esta na função que esperava esta fazendo ou na partida que em seu pensamento não devia esta presente.

O companheirismo é imprescindível dentro da partida de futebol porque às vezes são apoios tão pequenos e frequentes que se tornam até naturais e fazem a partida ser muito bem arbitrada, os jogadores e a comissões técnicas percebem a sintonia da equipe de arbitragem e passa a respeitar as decisões sem aqueles protestos ou gestos reprovando as marcações isso é bom passa tranquilidade para os erros da arbitragem.

O companheirismo pode visto em pequenas coisas como uma palavra, uma pergunta ou uma gentileza que faz esquecer que a partida está difícil de arbitrar.

O companheirismo é isso.  Pode contar com a outra pessoa e ela com você. Sempre. Como se fosse natural e sem ser forçado e quando os árbitros se conhecem e se respeitam, é que eles sabem valorizar os pequenos gestos que demonstram que ser companheiro é fazer parte da equipe de arbitragem e o que final o resultado é para todos.


Por Valter Ferreira Mariano

Nenhum comentário: