22 de jan de 2013

OS CAMINHOS DO UNIVERSO DA ARBITRAGEM


O apito é soprado, inicia-se uma partida de futebol. No meio do solo sagrado, campo de futebol (regra 01), se encontra João dos Santos, homem humilde de pouca posse, porém rico de virtudes e bondade no coração. Aprendeu com o pai a lição mais importante da vida, a lição de nunca beneficiar-se de algo ilícito. E foi esta lição que o levou a querer ser um árbitro de futebol.

Para chegar a ser um bom árbitro (regra 05), João dos Santos sabe que os caminhos da arbitragem não serão caminhos cobertos de pétalas e sim cheios de espinhos, onde encontrará a arrogância e o egoísmo dos próprios companheiros, mais também sabe que tais obstáculos serão transpostos com uma postura independente, com iniciativa, originalidade e dedicação.

Na busca do seu ideal, João dos Santos sabe que deverá sempre manter uma postura de cooperação e de bom senso, estando aberto ao dialogo e ao entendimento. O otimismo que estampa suas atitudes serão contagiante e será o caminho da arbitragem que o levará ao sucesso.

A vida dentro da arbitragem sempre colocará em situações deverá empregar o senso prático e assumir tarefas que requeiram alguns sacrifícios. Estes sacrifícios desenvolveram sua flexibilidade; a ser uma pessoa tolerante, principalmente consigo mesmo; ter fé na sua capacidade de viver de modo construtivo e organizado. E este será o caminho para ser um árbitro vencedor.

Prosseguindo com sua jornada, João dos Santos encontrará situações onde irá aprender com as experiências vividas por outros árbitros, as quais lhe permitiram a fazer mudanças quando necessárias. E este será o caminho que lida sabiamente com a liberdade, seguir o ritmo natural, desapegar-se de velhos hábitos e aceitar a correção na sua maneira de arbitrar.

Outro caminho que João dos Santos passará dentro da arbitragem será o levará a exercitar a responsabilidade com relação aos outros, principalmente com sua família, a capacidade de compreensão e senso de justiça.

A capacidade de analisar e aprofundar nos conhecimentos do espírito das regras e transmiti-los aos leigos apaixonados será o caminho da divulgação da Carta Magna do futebol.

O desafio do último caminho será a cobrança perpétua do perfeccionismo que a sociedade futebolística requer do árbitro. Porém João dos Santos deve encarar este caminho, como um ser humano, e não cobrar este perfeccionismo de si mesmo e nem dos outros. Não deve protelar decisões e nem alimentar situações antissociais, deve sempre exercer a sua capacidade de conhecedor das 17 regras e exercer este poder com responsabilidade e humildade, equilibrando sempre os aspectos textuais com o seu espírito.

Se chegar o fim desta jornada, João dos Santos deverá ter em mente que apenas um chegará ao topo e não será demérito nenhum se não conseguir ser um árbitro FIFA, mas terá o respeito dos demais árbitros por ter tentado e se dedicado a este ideal.

Por Valter Ferreira Mariano

8 de jan de 2013

COMO ESTUDAR A CARTA MAGNA DO FUTEBOL (LIVRO DE REGRAS)?


Para realizarmos algo com sucesso no Universo da Arbitragem de Futebol e preciso ter vontade de realizar, e esta vontade e conjugada ao estudo da Carta Magna e sua diretrizes.

Para iniciar um bom estudo e necessário tirar tudo da cabeça o que não se refere ao universo da arbitragem, em seguida limpe a mesa, somente deixa sobre ela o material que será estudado. Agindo desta forma sua mente estará com mais espaço e facilitará uma leitura mais eficaz do texto, e, as informações serão rapidamente compreendidas.

Sua concentração deve ser focada no que esta lendo, assim se cansará menos e sua capacidade de aprender será ampliada, treine sua habilidade de conseguir a atenção no que esta fazendo, pois esta habilidade também será requisitada dentro do solo sagrado (campo de jogo – regra 01), onde sua concentração será colocada a prova a cada minuto da partida.

Reflita constantemente o que esta aprendendo, persista mesmo quando não entender este ou aquele trecho do texto, o importante é compreender que esta lendo e não apenas ler o texto inúmeras vezes e não entender, tirar as duvida com outro companheiro da nobre função é uma boa maneira de aprender corretamente os textos da Carta Magna.

O raciocínio deve este empenhado em aprender corretamente tudo que esta sendo absorvido, somente vire a pagina quando tiver a certeza que realmente aprendeu, sua inteligência em função do estudo procurando o que deve ser compreendido resulta numa maior capacidade na aplicação das regras e diretrizes na partida, permitindo reduzir o coeficiente de erros que possa ter durante a mesma.

Evite estudar perto de pessoas onde conversam, de preferência ao silencio, escolha um lugar onde permite certo conforto, utilize de mesa e de uma cadeira, sente-se, não adquire o vicio de estudar deitado, pois tudo que for lido pode ser apagado pelo inevitável sono, evite está perto de rádio ou televisão, certamente irão desviar sua atenção, sempre se alimente antes de estudar, claro, coma o necessário, sem gula, pois esse excesso prejudicará sua habilidade de aprender e compreender corretamente o que esta sendo lido.

Um bom estudo é aquele que feito de forma planejada e organizada, tendo tudo que deve ser utilizado com fácil acesso. Não tenha a sede de aprender tudo de uma só vez, use intervalos, use o tempo reservado com sabedoria, pois a Carta Magna (Livro de Regras) requer de seu leitor a eterna leitura de suas paginas.

Por Valter Ferreira Mariano