21 de dez de 2011

O universo da arbitragem de futebol deseja a todos um feliz Natal e um excelente 2012!

El mundo del fútbol árbitros les desea a todos una feliz Navidad y un gran 2012!

The world of football refereeing wishes everyone a happy Christmas and a great2012!



Le monde du football arbitrage souhaite à tous un joyeux Noël et une grande 2012!

refereeing 축구 세계는 모든 사람에게 행복한 크리스마스와  2012 되시길 기원합니다!

16 de dez de 2011

Péssimo posicionamento - Gol do árbitro!


Olá pessoal do Universo da Arbitragem de Futebol, veja o que acontece quando o árbitro (regra05) esta mal colocado! - Deixe sua opinião no comentário (abaixo)

14 de dez de 2011

Final Paulista LINAF


Árbitro: Valter Ferreira Mariano, AA1 Rafael Cesar Fernandes e AA2 Graciana Fernandes Paganini

Santos 2x1 Corinthians Final do Paulista Feminino LINAF 15/09/2009 (acervo)


Árbitro: Valter Ferreira Mariano, AA1 Rafael Cesar Fernandes e AA2 Graciana Fernandes Paganini

Os fatores que os comentarias não cometam.


árbitro Valter Ferreira Mariano - Bom  posicionamento

Em tempos de campeonato é impossível não ouvir ou assistir uma partida de futebol. Seja no estádio ou no campo de várzea, seja no bom e velho radinho de pilha ou nas modernas televisões digitais (LCD) ou de plasma, e dessa maneira é impossível não observar as criticas sobre o desempenho dos árbitros (regra 05) ou de seus árbitros assistentes (regra 06).

Criticas sempre emitida de forma negativa, ferindo a imagem do árbitro, transformando em vilão, causador da derrota desta ou daquela equipe. Elas são o combustível na formação da opinião dentre os torcedores, que o árbitro “roubou” o seu time de coração.

Simples e muito cômodo observar o universo da arbitragem de futebol detectando erros através dos olhos frios da câmera de televisão, nos mais variados ângulos possíveis, em slow motion, no famoso tira tema, difícil é observar estes mesmos erros pelo olho humano do árbitro. Ver os fatores que compõe a dinâmica de arbitrar uma partida, estes sim deveriam ser avaliados e comentados, dando ao torcedor a verdadeira imagem do árbitro a toda a sociedade futebolística.

Fatores como a colocação e o deslocamento do árbitro durante a partida, pois uma péssima colocação e um deslocamento lento pode fazer a diferença num lance decisivo. Um árbitro assistente bem colocado terá uma ampla visão de uma situação de impedimento (regra 11). Um árbitro que tem ótimo deslocamento, sempre estará próximo da jogada. Assim ambos terão sempre uma excelente posição para determinar se houve ou não irregularidade.

Outro fator que deveria ser avaliado é o posicionamento nas bolas (regra 02) paradas, por exemplo, num escanteio (tiro de canto – regra 17), para uma melhor visão, seu posicionamento deverá ser do lado oposto  desta cobrança, na entrada da área penal, afastado do bolo de jogadores, de olhos voltados pra dentro desta área e tendo o goleiro no seu campo visual.

O preparo físico será colocado em prova sempre que o árbitro necessitar de um deslocamento rápido, isso também se aplica aos seus assistentes, principalmente numa situação de contra ataque veloz onde sua corrida será sempre com olhos atentos posição da bola e do penúltimo defensor.

Uma boa sinalização é imprescindível, não deixa duvida de quem é a posse da bola. Inibe os empurrões e bate boca entre os jogadores que querem a mesma coisa, ou seja, a posse da bola.

São fatores que os peritos em arbitragem ignoram ao comentar a atuação do árbitro, pois seu foco principal é apontar o erro e não verificar o motivo que levou o arbitro a cometê-lo, passando que tal erro foi cometido de forma leviana e premeditado. Isso é ruim para futebol, pois promove a imagem que os árbitros estão lá para determinar o vencedor da partida.

Por Valter Ferreira Mariano

6 de dez de 2011

O antidoto para imprensa futebolística!

Paulo César de Oliveira FIFA/SP

O direito à informação, consagrado na Constituição Federal, requer dos veículos de comunicação senso ético, responsável e isento, onde deve prevalecer um bom jornalismo.

A imprensa esportiva, principalmente a que tem o futebol como seu carro chefe, tem grande influência na formação de opinião dos ouvintes e telespectadores, que são torcedores loucos pelo time do coração, sendo que esta não deve ser confundida com informação. Os programas esportivos exibidos nos canais de televisão bem como nas rádios, têm o direito legítimo de expor suas preferências, porém, sem contaminar a mente do torcedor, deformando a realidade de um resultado de revés, atribuindo o mesmo a um erro de arbitragem.

A matéria de cunho opinativo deveria ser feita em forma de editoriais ou nas manifestações dos torcedores, quando entrevistados.

Em época de final de campeonato, exacerbar de forma negativa as atuações dos árbitros (regra 05) e dos árbitros assistentes (regra 06) a partir de repetição de imagem obtidas pelos olhos frios das câmeras de televisão espalhadas por vários ângulos ou na utilização de recursos eletrônicos do tipo tira-tema, é uma maneira de direcionar a opinião do torcedor, levando ao perigoso caminho da desconfiança, onde a arbitragem manipula resultado, no sentido de beneficiar este ou aquele clube.

Neste caminho, narrador, comentarista e repórter, têm papel decisivo. Cabe a estes determinar de que forma o erro de arbitragem deve ser visto e abordado. A partir da convicção destas pessoas e conhecimento da Carta Magna do Futebol – Livro de Regras, deve informar ao público a verdadeira face do erro, sem o interesse de transforma-lo em mártir para obter IBOPE.

O antídoto para esta situação é a realização de cursos de arbitragem com os membros da imprensa futebolística. Transformando-os de leigos em embaixadores da Carta Magna. Onde com o novo conhecimento adquirido poderão passar ao seu público (torcedores) a verdadeira imagem do Universo da Arbitragem de Futebol. Passando a responsabilidade do revés aos jogadores que não se empenharam durante a partida, aos treinadores que escalaram seus times de forma equivocada ou fez substituições que não deveriam fazer e aos cartolas que fizeram contratações erradas ou simplesmente sumiram com as finanças do clube.


Por Valter Ferreira Mariano